Este post faz parte da blogagem coletiva de Março do grupo Rotaroots, um grupo de blogueiros saudosistas que pretende resgatar a essência e originalidade dos blogs quando estes eram meros diários. Você pode se cadastrar no Rotaroots aqui ou então participar do grupo no Facebook aqui.

blogagem coletiva rotaroots março

Inspirado numa tag vista primeiramente no Hypeness, a ideia aqui é escrevermos uma carta aberta para o nosso eu de 10 anos atrás. No meu caso, vou dizer algumas coisas pra uma Renata de 21 anos, que nem sabia que um dia ia ter que ficar explicando pras pessoas que Prado era o sobrenome real, em vez de Checha. Pois vamo nessa.

“Querida Renata,

Eu sou o fantasma do seu espírito do futuro. Um futuro que, como você e todo mundo na sua idade espera, será melhor em muitos aspectos. O ano é 2004 e você está no segundo ano de Publicidade. Bem barra essa mudança, né? Depois de acabarem com o seu curso de Rádio e TV e quase te obrigarem a fazer Jornalismo, você taí em Publicidade, meio ainda sem saber se era isso mesmo que você queria. Mas acredite, em 10 anos você terá certeza de que a mudança foi boa pro curso da sua vida.

A propósito, não se preocupe tanto com certas coisas. Você é uma menina competente e conseguirá atingir um reconhecimento interessante em sua vida profissional. Se eu pudesse voltar onde você está, gostaria de recomendar que você mantenha a coragem e o espírito inquieto, porque acredite, ele pode enferrujar um pouco com o tempo.

Não se preocupe com envelhecer e com relacionamentos, nesse ponto eu te garanto que as coisas só ficam melhores com o tempo. E por falar em relacionamentos, fica fria: esse seu namorado não será o último. Aliás, virá coisa muito melhor. Não precisa sofrer tanto quando vocês terminarem (sim, isso vai acontecer).

Na verdade eu não sei se eu tenho tantas coisas assim pra te dizer. Você é uma garota inquieta, impulsiva e um pouco inconsequente, como muitas garotas da sua idade são. Você vai cometer erros, magoar pessoas e tropeçar bastante, mas não acho que eu deva interferir a ponto de mudar isso, porque só assim você se tornará eu, e nós somos uma pessoa muito satisfeita.

Então aproveite e viva. Mas não se leve tão a sério, porque se levar a sério demais exigirá muito de vc, emocionalmente e fisicamente até. Preocupação causa doenças, saiba disso. A propósito, exercite seu ciático. Agora ele tá inteirão, mas essa é uma parada que pode doer. Muito. Por muitos dias.

No fim das contas, a única coisa que eu quero que você seja muito consciente é com uma coisinha chamada consumo. Daqui a pouco você vai começar a ganhar seu rico dinheirinho e aí dá uma vontade de comprar tudo que você vir pela frente, mas não entra nessa. E principalmente, não se comprometa com coisas que podem depender exclusivamente de você. Isso vai te custar muito caro, literalmente.

É meio complexo tentar te convencer disso quando a vida tá feliz e a bebida alcoólica e o riso estão fartos. Mas um dia você vai entender que ser é muito mais valioso que ter. Muito mais. Um dia você vai saber.

Enfim, viva. Ame. Sorria. De resto, a vida te ampara.

Literalmente sua,
Checha (por enquanto você odeia esse apelido, mas aqui onde estou ele é motivo de orgulho, pode crer)