Ouvi falar desse livro logo no início da gravidez, em uma matéria de revista. O título me chamou atenção, pois a “sombra” é um dos aspectos da psicanálise junguiana, que trabalho em minha terapia (que está suspensa por questões orçamentárias e da qual sinto a maior falta). Ganhei o livro da querida Marília, e terminei agora a sua leitura.

maternidade_sombra

É uma leitura incômoda. Muito. Acho que só de ler, a sombra já dá umas reviradas debaixo do tapete. Só pra esclarecer, de forma bem leiga, a sombra compreende todos os aspectos negativos e traumáticos de nossa psiquê, que relegamos ao esquecimento, consciente ou inconscientemente. A questão é que a sombra, assim como a sujeira do tapete, não se desfaz. Ela fica ali, esperando pelo melhor momento de se manifestar. E a chegada de um bebê parece um momento ideal.

Laura Gutman, a autora do livro (e psicanalista especializada em relações familiares), defende uma espécie de fusão entre a psiquê de mães e filhos, envolvida por toda uma rede de apoio, que compreende o pai da criança, amigos, familiares e grupos de apoio. A estrutura funciona em rede, com apoio mútuo, mas é na intimidade entre a mãe e a criança é que se estabelecem as relações mais profundas.

Uma relação que não se apresenta fácil, de maneira alguma. Partindo desse princípio da fusão, num momento tão frágil emocionalmente para a mulher, a sombra se manifesta, por meio do corpinho do bebê. E isso influencia tudo: a amamentação, as doenças que se manifestam, as noites (ou não-noites) de sono, o abandono da fralda, os comportamentos violentos ou permissivos que se manifestam.

Gutman nos mostra um cenário de duas opções viáveis: correr da sombra ou lidar com ela. Lidar com nossos medos e traumas quando um ser tão frágil precisa da gente parece uma ideia no mínimo insensata, mas a despeito da fragilidade física, a autora nos apresenta os bebês de uma maneira encantadoramente forte, sendo perfeitamente capazes de nos ensinar a lidar com a própria sombra.

A chave de tudo é a comunicação, e as estruturas de apoio nas quais nos firmamos. Bonito na teoria, difícil de exercer na prática, uma vez que nossas famílias e amigos (vide a variedade de opiniões absurdas com as quais temos de lidar), profissionais (vide a indústria de partos “desnaturados” em que se tornou nossa rede obstetrícia) e sistema educacional (vide um sistema pedagógico cada vez mais exigente com crianças que deveriam estar apenas brincando) parecem estar na contramão disso tudo.

Se a gente não se segurar, corre o risco de largar tudo que tem só pra ficar por conta de cuidar do bebê, como Laura parece sugerir em alguns momentos. Ela não pede isso, mas também não nos acalenta a ponto de dizer: “vai lá, pode viver a sua vida capitalista normalmente que tudo vai dar certo”. Como todo bom (e irritante) psicanalista, ela é neutra: te apresenta os fatos, conduz a sua reflexão e deixa que você tome as próprias rédeas das suas decisões.

Abordando questões diversas, desde a preparação para o parto até o momento da volta do trabalho, passando por nascimento, puerpério, amamentação, relação com o pai da criança e outros pontos importantes, “Maternidade e o encontro com a própria sombra” é uma leitura importantíssima para mulheres grávidas, por nos mostrar um lado realista e menos infantilizado da maternidade.

Ao nos depararmos com as questões que ela traz no livro, podemos desde já pensar e reconsiderar algumas atitudes e comportamentos aos quais nem daríamos importância. Podemos nos preparar para esse encontro com a sombra, que mesmo assustador tem um quê de divino e empoderador, já que como Gutman sugere, sempre sairemos fortalecidas desse confronto.

Uma coisa bacana do livro é que a cada capítulo a autora traz histórias do grupo de apoio fundado por ela em Buenos Aires, o Crianza. Fiquei bastante curiosa pra saber se existem grupos similares em Brasília. Mesmo que não haja, me despertou para a importância de ser acompanhada por uma boa e experiente doula.

É um livro para ler antes de parir e para manter à mão para consultas, até que a criança tenha lá pelos seus 3 ou 4 anos de idade. Com muita alegria, recebi a notícia de que Laura Gutman dará uma palestra em Brasília, 14 dias antes da minha data provável de parto. Para saber mais sobre o evento, clique aqui.

Maternidade e o Encontro com a Própria Sombra – Laura Gutman. Editora Best Seller. 

Custa entre R$ 26 (Extra) e R$ 45 (Cultura).

Nota: 5/5.